Sobre-estadia: 6 considerações para evitar este custo na importação


Que se pronuncie o importador que inclui no custo da importação a eventual sobre-estadia, ou demurrage de contêiner.

Não é incomum a incidência de demurrage de importação. Por isso, considere:

  1. Negociar  o prazo livre junto com o frete de importação.
  2. Conhecer  os valores diários cobrados após o prazo livre. US$ 100 a menos na tarifa podem ser consumidos em dois dias a mais de demurrage por contêiner.
  3. Acompanhar o processo de importação desde a origem e ter os documentos e processo em ordem para agilizar a nacionalização.
  4. Fazer  uma inspeção da condição externa do contêiner antes de tirá-lo do terminal portuário.
  5. Devolver  o contêiner limpo de resíduos e no local indicado pelo armador.
  6. Manter seus registros e documentos da devolução.

Dependendo do tráfego de origem, os prazos livres podem variar significativamente . Entenda-se por prazo livre o tempo em dias e sem custo de sobre-estadia,  para que a unidade seja devolvida ao local indicado como depósito de contêineres vazios do armador. Na maioria das vezes são as práticas concorrenciais que definem o tempo livre e também o valor da diária cobrada após o vencimento do prazo livre estabelecido. Os prazos livres mais generosos estão no tráfego da Ásia, de onde vêm os maiores volumes de importação e onde ficam entre 25 e 30 dias, a partir da descarga.

Para outras origens, como Europa e América do Norte, os prazos médios negociados tendem a ficar por volta de 15 dias. E, quando os prazos livres de demurrage não são incluídos  na ocasião da negociação do frete marítimo de importação, a tabela padrão do armador será aplicada no destino. Neste caso, os prazos livres de custo vão ficar por volta de 7 a 10 dias para a carga seca e entre 2 a 5 dias para a carga refrigerada.

Em torno de 90% da importação conteinerizada no Brasil, é acomodada em contêiner dry (para carga seca) e os restantes 10% são efetivamente usados para produtos mantidos sob refrigeração. As diárias são estabelecidas, normalmente,  em US$  nos tráfegos internacionais. Para alguns armadores, as tarifas são maiores à medida que o contêiner  fica maior tempo com o importador. Nesses casos a tarifa pode duplicar seu valor diário a partir da terceira semana após o prazo livre. Os valores diários começam ao redor de US$ 30 a US$ 60 o contêiner de 20 pés e 40 pés, respectivamente, para a carga seca.

Na cabotagem as tarifas diárias são estabelecidas na moeda local, em reais, e esses valores refletem a conversão dos valores indicativos do transporte de longo curso. Como o trâmite de liberação da carga após a descarga no porto de destino é bem menos burocrática, os prazos livres também não variam tanto.

Não negociar na hora da contratação do frete, significa abrir mão da margem, acrescentar custo à importação. Além disso, conhecer as obrigações e direitos e manter seus registros organizados  é sempre importante para confrontar cobranças futuras e controlar seus custos.


Categorias: Cabotagem, Custos, Marítimo de Longo Curso

Tags: , ,