Lei de oferta e procura no transporte de cargas


Lei da Oferta e da Demanda é a lei que estabelece a relação entre a demanda de um produto ou serviço e a quantidade que é oferecida, a oferta. Pode-se dizer que a maior oferta de transporte do que procura gera queda no preço do mesmo, enquanto o contrário provoca a elevação do frete.

No transporte rodoviário do Brasil, o conjunto das empresas ofertantes do transporte e o conjunto das empresas demandantes do serviço é o que determina o preço de mercado. Fica difícil para qualquer um deles, isoladamente, ditar preços já que tratam de um mercado altamente fragmentado.

A lei 12.619/12, que regulamenta a profissão do motorista, traz componentes novos de redução de produtividade e aumento de custos. Provoca assim novo desequilíbrio entre oferta e procura no transporte rodoviário. Em menos de um mês de vigência da lei 12.619/12, já são notados aumentos setoriais de 30 a 40% em alguns estados.

No contexto nacional, uma eventual redução da oferta de transporte com aumento de custos, tende a provocar aumento dos fretes com o poder de negociação pendendo para o ofertante do transporte. Cabe ao outro lado, às empresas que procuram por transporte, avaliar suas opções e decidir que caminho tomar.

Quais são as opções?
Primeiramente negociar para decidir se pode absorver aumentos ou se estabelece novas métricas de performance de longo prazo, por exemplo. Além disso, buscar alternativas. Ainda que com capacidade limitada de absorção no curto prazo, tem-se a ferrovia em corredores específicos e a cabotagem para as maiores distâncias.

No modal marítimo internacional a relação entre oferta e a procura é muito elástica. Quando a oferta é maior do que a procura o frete cai rapidamente e novamente sobe quando essa relação se inverte. O modal marítimo (internacional ou de cabotagem) tem maior flexibilidade de acrescentar ou excluir oferta de transporte.

A cabotagem no Brasil tem apenas quatro operadores. Ainda assim há forte concorrência entre eles. Existem, obviamente, limites para a cabotagem, sendo um deles a disponibilidade de tripulação. Porém, com a política pública adequada esse é o modal que pode mais rapidamente contribuir para um novo equilíbrio entre a oferta e a demanda de transporte de cargas no Brasil, levando maior equilíbrio à matriz de transportes e efeito positivo ao meio-ambiente.


Categorias: Cabotagem, Marítimo de Longo Curso, Rodoviário, Transporte Intermodal

Tags: ,