Khan Academy lança “O futuro da educação em ciências da computação”.


Para educadores que lutam para motivar mais estudantes a desenvolver assuntos relacionados a tecnologia, a Khan Academy tem uma nova abordagem.

“Ciência da Computação é uma área intensamente criativa”, diz Shantanu Sinha, presidente da Khan Academy , que deu ao TechCrunch uma amostra exclusiva sobre o seu portal de educação, um novo modelo que ensina fundamentos de Ciência da Computação através de desenho interativo. “Nós realmente queríamos focar na criação de algo que poderia inspirar os jovens e levá-los entusiasmados e motivados para explorar CS ainda mais.”

O design interativo do portal é um grande passo evolutivo para um site que já foi quase inteiramente baseado em palestras do YouTube ( com mais de 178 milhões de visualizações).

 O projeto

O novo site sobre Ciência da Computação incide sobre os críticos primeiros anos de adolescência, onde os jovens ampliam (ou estreitam) os seus interesses e identidade antes do ensino médio. As aulas não ficam muito mais complicadas do que a álgebra básica, e como esses conceitos intuitivos podem criar um jogo, artes online ou experiências em sites. “Nós queríamos criar algo que pudesse levar alguém com conhecimento mínimo de informática a ficar animado com o assunto sem depender da sua idade ou situação”, diz Sinha.

Uma das lições mais avançadas, por exemplo, é uma réplica do Pac-Man (ou seja, um círculo comer outros círculos menores) e não chega a ser um curso de Ciência da Computação de nível universitário.

Design e Pedagogia

O coração do projeto coloca um simplificado editor de texto interativo, que fica ao lado da saída do código de desenho, que atualiza em tempo real como os alunos devem explorar diferentes variáveis e números para alterar o tamanho, formas e cores de sua nova criação. Um vídeo opcional guia os alunos através da aula, passo a passo, e, mais importante, pode ser interrompido a qualquer momento para que possam mexer no desenho com curiosidade e a dúvidas que surgirem durante o processo.

Esta parte é fundamental: a aprendizagem é contextual e idiossincrática. Os alunos absorverão melhor o novo material se eles puderem aprender em seu próprio ritmo, e a ver o resultado de diferentes opções em tempo real.

A pedagogia se encaixa perfeitamente no que educadores chamam “aprendizagem baseada em problemas”. Alunos resolvem problemas da vida real e são incentivados a explorá-los, além de serem guiados por um professor ao longo do caminho que pode apontar novas formas de realizar a tarefa.

A aprendizagem se dá ao reconhecer que nos problemas da vida real existe sempre mais de um caminho para uma solução, e que os alunos aprendem melhor fazendo onde a curiosidade esteja ligada a exploração. Este último ponto é talvez o mais importante, já que uma das principais barreiras para impulsionar os jovens estão relacionadas a falta de interesse .

Fonte: http://techcrunch.com/2012/08/14/khan-academy-launches-the-future-of-computer-science-education/


Categorias: Tecnologia da Informação

Tags: , , , , , , ,