Custos portuários e de transporte na exportação


A pesquisa “Desafios à Competitividade das Exportações BrasileirasMeiosTransporte_05set16 realizada pela FGV-EAESP para a CNI, com amostra de 847 empresas de todos os portes e de todas as regiões do Brasil, sendo  64% delas de micro e pequeno porte, elencou os principais desafios para exportar. No topo da lista, em todas as regiões estão: custos do transporte e tarifas cobradas nos portos e aeroportos.

Por sua relevância, neste texto é abordado o desafio desses custos no transporte marítimo em contêiner ou ainda, de carga solta que vira contêiner e, que é complementado pelo transporte basicamente rodoviário antes de chegar ao porto.

O Brasil é um país burocrático na sua maneira de trabalhar inclusive para exportar. Muitas tarifas e sobretaxas não são privilégios brasileiros. Para o exportador é importante entender o que são esses custos para que possa incluí-los na formação do preço de venda ou questionar a sua cobrança.

Falando de transporte marítimo, historicamente é uma atividade muito sensível à equação de oferta e demanda, ou seja, quanto de espaço está disponível em relação à demanda por transporte de exportação. A indústria da navegação em contêiner vem, ao longo dos anos, investindo em navios maiores e mais econômicos o que se reflete na redução sensível dos valores médios dos fretes marítimos por contêiner. Sempre importante conhecer qual a situação da rota específica – Brasil/Europa, Brasil/Ásia, por exemplo -, se há espaço disponível ou a falta dele, pois isso já é um indicador de custo da parte marítima do frete de exportação.

Adentrando o porto, há um leque de tarifas, taxas e sobretaxas que são cobradas e que o exportador deve conhecer e quantificar. Excetuado o frete marítimo e BAF ou taxas diretamente relacionadas a ele, as taxas locais citadas abaixo, são cobradas na origem e no destino. Então é relevante identificar a responsabilidade do exportador no processo de venda internacional e alocar os valores ao custo de exportação conforme o caso. As taxas e sobretaxas mais relevantes são:

Cobrados pelo transportador marítimo: frete marítimo; BAF ou Bunker Adjustment Factor (sobretaxa de combustível); THC (Terminal Handling Change ou taxa de manuseio da carga no terminal, a antiga capatazia); taxa de emissão de Bill of Lading (conhecimento de embarque); ISPS Code (International Ship and Port Facility Security Code – Padrão internacional de segurança para navios e terminais portuários); taxa diária de Detention ou retenção do contêiner após o prazo livre de uso. Ainda, conforme necessidade, existe a cobrança de Certificados; acréscimos para carga perigosa; tarifa de Late Gate ou entrega da carga após o prazo definido; taxas de correção de documentos, etc.

Cobrados pelo terminal portuário: armazenagem após o período livre concedido; VGM, verificação do peso da carga e contêiner com emissão de documento; taxa de posicionamento do contêiner ou carga para vistoria de órgãos como a Receita Federal, Anvisa, MAPA; taxa de escâner; diárias de energia; etc.

Antes de chegar ao porto haverá o custo do transporte e estufagem da carga no contêiner. Se for uma exportação de carga solta e um agente de cargas for contratado, haverá custos de consolidação e um universo similar de taxas, muitas delas proporcionais à carga em questão. Importante que o exportador solicite a nota fiscal de prestação desses serviços para que possa comparar valores à medida que realizar novos processos e teste novos modelos de exportação ou novos prestadores de serviços.

Não esquecendo dos custos com despachante aduaneiro no Brasil, que é quem faz o processo de despacho da carga junto aos órgãos intervenientes entre outras atividades.

Como pode ser visto a lista é grande e vem crescendo ao longo do tempo. São aplicadas em todo o mundo com algumas variações de custos. Normalmente essas tarifas e taxas são públicas e cobradas em moeda local.

Custos de transporte e tarifas portuárias podem atrapalhar a inserção de novos negócios no comércio internacional.


Categorias: Custos, Marítimo de Longo Curso

Tags: , , , ,